Oliveiras, difícil de cuidar e de obter floradas

Este ano as oliveiras estão melhores e mostrando flores em 2 espécies, notadamente a Maria da Fé. Mesmo assim são poucas flores ainda e temos preocupação se as flores vão virar azeitonas. Isto porque continuamos com muita infestação de Sercospora e, atendendo orientação do Eng. Alberto (Diretoria de Agricultura de Piedade) vamos intensificar o tratamento a base de Amistar Top, Cálcio e Boro e outros nutrientes.

Vamos ver a evolução mas é provável que teremos que passar mais um ano com poucas ou nenhuma azeitona.

Mitos ou Falácias? Crônica de uma tragédia

Opiniões são dadas a cerca dos fatos ocorridos e, numa sociedade como a nossa, ávida de comentários e do que comentar a respeito de tudo e de todos, quando uma tragédia ocorre vira hit. Começam então a surgir as opiniões dos especialistas e, as vezes, me assusto com o que ouço.

Morreu, no acidente de avião, o candidato Campos. Tinha até então aproximadamente 10% das intensões de votos, metade do que o 2o. colocado, Aécio noviço como ele mas com um partido maior e mais estruturado. Claro que sofria da falta de conhecimento do eleitor, acostumado apenas com o que está na superfície mas a tarefa de chegar ao 2o. turno era difícil.

Sendo assim, como pode agora, depois de morto, ser praticamente perfeito, sem defeitos e com mil e uma qualidades? A mim parece absurdo este raciocínio, assim como a naturalidade com que os especialistas apontam Marina como candidata natural a substitui-lo e, além disso, com capacidade para reverter a eleição e derrubar a Dilma num 2o. turno (o Aécio ela vai derrotar no 1o., ganhando o 2o.lugar).

Ora se o candidato anterior era perfeito, porque não decolou? Se era pior opção eleitoral, porque não cedeu o lugar a Marina? Se Aécio é tão pouco competitivo porque é o candidato tucano?

Na minha opinião Marina não repetirá os 20 milhões de votos, não é opção para a maioria dos eleitores tucanos ou  não petistas e não se sustentará apenas com o messianismo característico. Aliás este messianismo (palavra diferente para esconder o seu radicalismo) é que a derrotará porque ninguém está disputando eleição para o Céu e, carisma por carisma, o Lula leva a melhor.

Um ano passou e agora é tempo de iniciar, de novo!

Para nós, na agricultura o ano começa em agosto. Até junho temos produção, em julho ainda sobra alguma coisa produzindo e temos que colocar as contas em ordem, planejar o próximo período e começar a produção das mudas. Em agosto, se bobear o tempo passa correndo e, pronto, já estamos atrasados.

Este ano tivemos de cara uma ótima notícia. Não precisamos corrigir o PH do solo e nem colocar matéria orgânica. Isto significa que estamos tratando a terra com o devido respeito. Considerando que foi um ano de mudanças significativas no processo produtivo estamos muito felizes.

Para o próximo ano o desafio maior é consolidar um mercado além dos restaurantes que consomem nossos produtos derivados das pimentas peruanas. Isto é bem difícil. No caminho a margem de ganho fica toda para os outros agentes (não chamo de atravessadores porque sem eles não haveria mercado algum). É uma realidade errada, causada pelo fato de terem criado este monstro que é o CEAGESP. Não importa, vamos a luta e vamos encontrar caminhos e soluções que nos atendam.

Neste momento estamos batalhando para colocar melhor nossos tomates tipo “holandes”. A produção está fantástica e o produto é muito bom. Sem falsa modéstia, melhor do que tudo que vi até agora no Ceagesp e nos hortifrutis. Mas isso apenas não é razão para vender pelo preço justo. Até agora muitos elogios mas nenhuma compra garantida.