Uma placa para o Rancho Alegre

Resolvi fazer uma placa para colocar na frente da chácara. Isso foi no ano passado. Acabei pedindo para o Ademir e o Jefferson da Croni fazerem em chapa. Talvez uma homenagem indireta ao meu Pai que era serralheiro e dos bons.

Ficou bem bacana e o local escolhido também. Vi nesta final de semana.

Falta agora o adesivo com o nome e logo que estou desenvolvendo com a Janaína e as plaquetas de acrílico com os nomes dos produtos que serão vendidos lá. Até a próxima vez que for para lá daqui a 15 dias estará tudo pronto.

A partir daí o nome “Rancho Alegre” será a referência para quem for convidado.

Tati, torço muito para que as coisas se arranjem bem.

A Tati foi embora e sua estada conosco não foi o que ela esperava. Isto é muito triste.

Ela está pagando um preço alto por ser precursora em muita coisa mas também parece que está olhando as coisas por uma ótica desfocada. Difícil dizer! Difícil avaliar!

Fiquei muito triste por ela ter ido embora chateada comigo e espero que consiga entender minhas opiniões.

Mais do que tudo espero, de verdade, que acerte sua vida familiar, que estabeleça uma familia unida e querida, em todos os sentidos, que construa um lar com a filha e o marido, que se dê bem em Chartre, que a Ana Clara continue crescendo saudável, alegre, festeira e, com tudo isso, que encontre a forma mais eficiente de ser feliz.

Boa sorte!

A onda é cortar o cabelo

Não tenho no meu blog a categoria “Familia” porque prefiro pensar neles como amigos. Os amigos a gente sempre tem a opção de escolher. Por sorte todos da minha familia são meus amigos. Claro que há umas raras excessões (primo mais velho por exemplo) mas mesmo quem mora longe e eu não vejo frequentemene é meu amigo. Os que estão perto então nem se fala!

Esclarecido isto, a onda lá em casa, onde mora a familia no mais estrito senso da palavra, anda com uma mania estranha…. Cortar os cabelos.

Será que reescreveram a estória do Sansão e eu não estou sabendo?