Mais oliveiras plantadas, e outras notícias do Rancho Alegre

Ontem plantamos mais 68 pés de oliveiras. Só faltaram as do tipo Maria da Fé porque o Ezequiel não havia preparado as covas com adubos. Teremos qu esperar mais 1 mês para plantá-las.

As mudas de pimentas estão indo bem e acho que os pés que deixamos vão responder bem. Huacatai está transbordando. Fizemos a festa do La Mar e do Killa.

O lugar das novas gaiolas de coelha está ficando ótimo. Daqui para frente não faltará mais coelho.

A salsa pegou alguma doença que atingiu todas as produções vizinhas e da região. Que pena!

Os milhos já nasceram epor igual, tanto o nacional quantos as espécies peruanas. É aguardar para ver no que dará.

Falta resolver de vez a questão do terreno do Gildete (Sítio Tabajara) e com isso partir para resolver de vez a questão da água, sem depender de ninguém.

É isso aí!

Orgulho de Pai

Neste final de semana estivemos no apto. do Pedro e da Denise. Ainda com muito por fazer, organizar e muitos móveis para comprar.

Não importa! Fiquei orgulhoso e satisfeito de ver como estão encarando a vida independente. Foi este sempre nosso objetivo (da Téia e meu) criar os filhos para serem independentes.

Daqui a pouco ocorrerá o mesmo com o Julio e está mais do que na hora de aprender a tirar mais proveito da vida ou tirar proveito de um jeito diferente.

Residência TOKA

Nesta semana começou a obra de Peruíbe da casa do Toninho e da Kátia. Eu dei o nome de “Residência TOKA”. Gostei do trocadilho porque, no final das contas, deve ser a futura toca deles.

Amanhã vou lá conferir o gabarito de locação. Coisa que poucos dão valor mas que, se não for bem feito, é responsável por muitos dissabores durante a obra.

As fundações já estão projetadas e a ferragem comprada.

O projeto das paredes está sendo feito pela Janaína e deverá ficar pronto na semana que vem. Aí vou passar para o Ênio dizer como vamos estruturar (onde passar ferros e encher de concreto).

51 anos e muita coisa rolou!

Semana passada completei 51 anos. Se minha mãe estivesse viva diria que agora estou no 52! Comemorei desde a 6a. feira quando fomos a Téia, eu, a Geli e o Ricardo no Jabuti petiscar e tomar chop, como antigamente.

Depois no domingo almoçamos em casa com a Ana e o Luis, Sueli e Mário, Pedro, Denise, Julio e Thiago. Experimentamos Confit e porchetta de porco caipira (maravilhosos) e abrimos um Amarone que comprei na Toscana no ano passado.

Na 4a. feira com a Betzy, Francisco, Lucas, Ana, Nicolas, Gabriel, Olivier e Julio fizemos um cozido de porco com cenouras, alho poró e cebolas, mandioca assada e saladas. Acompanhamos com um TerraNoble Cabernet Sauvigon 2008 muito bom e um Rosso di Montalcino 2007 comprado em Montalcino no ano passado (estava elegantérrimo, fino, delicado e saboroso).

Antes disso o Pedro foi morar no seu apartamento e na 6a. feira anterior a esta série de eventos fomos lá juntamente com os Pais da Denise comemorar, inaugurar e comer uma pizza.

Falou um pouco da presença do Toninho e da Katia nos eventos mas eu entendo o momento deles. A lembrança sempre esteve presente e sei que eles também lembraram.

Agora é esperar o ano que vem quando completarei os 52 entrarei nos 53!!!!! Até lá”!!!!!!

A Copa, a Fifa e o valor dos ingressos:

A Fifa tem contrato assinado com o Governo Federal do Brasil onde está escrito que ela define o valor dos ingressos. O Brasil tem Leis que permitem idosos e estudantes pagarem meia entrada. Eu não concordo com estas Leis mas ela estavam aí quando assinaram os contatos.

Logo a Fifa pode definir qualquer valor para os ingressos mas tem que levar em conta as Leis. Ou seja, fazer previsão do rombo que as meias entradas vão dar no orçamento, jogar este rombo para o preço da entrada cheia e pronto. É assim que vêm fazendo todos os promotores de shows no Brasil há muito tempo.

Para mi isto está errado mas se quiserem algo diferente é hora de mudar a Lei e se não der tempo, paciência. A Fifa veio fazer a Copa aqui porque dá lucro e se der prejuízo é problema dela e não nosso. O lucro que for apurado não será dividido conosco. Vai para o bolso dos dirigentes da Fifa, da CBF, dos cartolinhas, dos políticos (especialmente dos que estão tão envolvidos e dedicados ao assunto).

Minha decisão já está tomada. Não vou assistir a jogos no estádio.