O natal, as pessoas, as oliveiras, os tomates e …

Bem, passamos o natal, festa originalmente religiosa que a cada ano ganha ares de “momento de compras”. As vezes o simples fato de ir comprar algo para alguém faz acontecer uma pausa na cabeça e nos pemite enxergar as coisas de uma outra forma.

Estivemos em família e foi tudo bem, agradável e tranquilo, sem excessos ou arroubos. A comida foi bem escolhida e em menor quantidade do que em outros anos. Assim mesmo sobrou.

Depois fomos para a chácara passar dias normais até porque a produção de tomates está a todo vapor e aí não tem jeito. Tem que fazer molho para guardar e estocar.

As oliveiras estão indo bem com brotos novos, o Nado esteve lá e checamos os limites de projeto da área de preservação, fui a Prefeitura e falar com o Edson. Parece que por lá em Piedade tudo corre normalmente.

Agora vamos esperar pelo dia de ano novo e pelo ano de 20!0 com boas expectativas.

Plantação de oliveiras

No último dia 26/11/2009 fomos à Maria da Fé – MG na EPAMIG buscar nossas mudas de oliveiras. Eu trouoxe também mudas de frutas de clima temperado como pêssego, amora, figo, marmelo e ameixa.

A empreirada virou excusão. De uma hora para outra a Prefeitura de Piedade resolveu doar um ônibus mas em função disso precisou encher o ônibus. O saldo foi positivo porque no meio do grupo havia pelo menos 5 pessoas muito interessadas.

As mudas já foram plantadas no dia 30/11/2009. São 5 tipos sendo 2 tipos exclusivamente visando produção de azeite (Maria da Fé e Arbequina), 2 tipos de produção mista azeite e frutos (Grappolo 541 e 561) e 1 tipo exclusivamente para produção de frutos (Ascolano) mas que é fundamental no processo de polimização das demais variedades.

Agora vamos esperar para ver a adaptação à região e como se desenvolverão.

O Pedro por coincidência estava com o Axel e a Tati. O Axel cuida de um “olivetto” da família numa pequena propriedade da Toscana e lá as oliveiras demoram 20 anos para dar os primeiros frutos.

Estas são diferentes. Pelo fato de as mudas terem sido desenvolvidas por estaquia ou enchertia a produçao pode começar no 3o. ano. No 4a. ano já é certo que deve haver produção comercial de pequena escala e no 5o. ano a produção já deveria proporcionar maior rendimento do que o investimento anual de manutenção.

Estamos na torcida. O sonho é dar certo e as pessoas de Piedade se animarem. Daí teremos um grupo maior com produção suficiente para justificar a importação de uma pequena máquina de extração de azeite.

Como dizem os italianos: In boca al luppo, quer dizer: Boa sorte