Hoje é sexta feira. Vamos relaxar!

Hoje é sexta feira!

Sempre achei uma grande bobeira este negócio de que a sexta feira é melhor porque quando você sai do escritório relaxa porque não tem que acordar cedo amnhã, terá um final de semana de folga e por aí vai. Só que as vezes só na sexta e no sábado é que você consegue reunir os amigos, alguns shows só rolam nestes dias e afinal não dá para ir contra a maré.

Sendo assim hoje vamos relaxar porque é sexta feira, ir ao bar do Omar (com sua gaita e os seus amigos que compôe o trio) ouvir boa música com amigos e com o Julio (grata surpresa), beber uma boa caipirinha, comer os gostosos pasteizinhos e voltar prá casa e ter um bom sono.

Amanhã? Bem amanhã vou travalhar o dia inteiro. Isso não faz diferença nenhuma.

Quero crer que a Lisa não dará furo. Ela confirmou. Talvez a Ana traga seus filhos também. Será bem divertido, espero.

Hoje abri mais uma categoria. “escritos”. Nesta categoria vou registrar alguma coisa, ou muita coisa quem sabe, que escrevi durante estes anos passados. Quer saber mais? veja a continuação!

A maioria foi em 1982, o ano que mudou minha vida. Descobri isso no final de semana no sítio, depois da semana que a Téia estava em Campo Grande. É que naquela semana ela me deixou uns textos desabafos dela prá eu ler e foi bom. Depois resolvi pegar minha pasta de recordações e fui ver o que escrevi. Meu objetivo era encontrar o que eu havia escrito para ela quando namorávamos e no começo do casamento. Isso eu ainda não achei. Mas pude ver o quanto tem de coisa escrita no ano de 1982. Foi na época que eu saia com o Runaldo, ficávamos até tarde da madrugada nos bares e sempre sozinhos, sobrando mesmo. Como a gente não era viado, era coisa de amigo mesmo, rolava um monte de observações sobre as situações que presenciavámos e, claro sempre relacionada sentimentalmente com nossa fase, afinal estávamos a caça e só!

Paralelamente era o momento em que eu estava realmente procurando uma definição sobre meu futuro. Não percebia mas havia decidido mudar minha vida ou encaminhá-la definitivamente. Como isso é claro hoje. Que rico aquele momento.

Muita emoção está nos escritos. Muita baboseira se olharmos com olhos de alguém com 47 anos mas se olharmos com olhos e um adolescente de 22 anos, descobrindo o mundo e suas possibilidades, aprendendo as limitações pessoais e principalmente sociais tem coisa boa lá. Por isso resolvi registrar aqui. Papel envelhece mais que bits.

Não será nada rápido pois quero reler primeiro e fazer uma seleção. Talvez até reescreva algo mas se isso acontecer indicarei que foi reescrito porque senão perde o valor.

É isso aí.

Curvas senoides

O ritmo da vida, alguem já disse, é como uma curva senoide. Sobe e desce de acordo com as variáveis mas a relação não é direta. É trigonométrica. Quando o sentido é de subida ou descida, qualquer fato (variável) provoca uma reação da curva mais acentuada do que deveria ser numa relação lógica de causa e efeito. Pelo menos isso é para os dois lados.

Vida pessoal, profissional, estudantil, economica, familiar, empresarial, não importa qual sofre com este sintona. Agora, depois de um período de percausos grandes, me sinto mais confortável e aí uma noticiasinha “não tão ruim” tem efeito melhor do que uma noticia boa ou um acontecimento bom numa fase descendente.

Na vida coletiva é que parece que não tem jeito. Este pais(inho) está numa fase muito ruim. E o mundo então? Tenho dito que o Obbama é o Collor dos americanos. Que pena! Fim de semana e lá está ele andando de bicicleta em Washington DC. Que beleza diria o Milton Leite. O Chaves depois de quase uma década falando bem das FARC vem e diz qie olha não é bem assim. Não é a toa que o lulinha (cartões e conchavos S.A) é tão cara de pau. Burro foi o FHC que não entendeu a tática.

Alckimim e Kassab ficam de birra para ver de quem é a bola. Vem a Marta leva a bola e sem pagar nada convence todo mundo que a bola sempre foi dela. Ela só emprestou enquanto foi jogar amarelinha ou pendurar a rede nos pés e coqueiros do marido dela.

Na Itália tá o Berlusca, na França o Sarkomidia, na Russia o Putim, em Cuba o genérico do Fidel, na Argentina a Pinguina quer dizer Cristina, a Bachelet não inspira muita emoção ainda mais depois que estive lá e não gostei muito do que vi.

Tá ruim! Sei não mas acho que se continuar assim o Coronel Nitrini estava certo. Fugir para pelo menos uns 250 km da capital é a única saida.

Prá não falar só de coisas ruins, sábado passado fomos ao All Of Jazz com a Ana e o Luiz. Muito bom. Tudo bem que do jeito que sentamos na mesa deixamos eles separados. Só fui perceber no meio da noite. Que mancada. Agora marcamos para o dia 20 ir no Bar do Omar Izar. Espero que desta vez dê certo.

Este final de semana vou a Piedade e espero que venda o milho. Semana que vem vou no sábado a Peruíbe e espero que esteja tudo pronto.

Prá acabar, feliz dia dos namorados para quem ler este treco!

Mais um recomeço

É muito difícil manter um blog ativo. As vezes é impossível ter astral para escrever. Estou tentando mais uma vez recomeçar. E por que agora? Porque sinto que o ciclo de baixo astral pode estar indo embora e aí não custa dar uma forcinha.

Estamos com o escritório em novo local, um prédio comercial, espero que mais seguro. Não está nenhuma maravilha mas está melhor.

Também na vida pessoal sinto que os últimos aocntecimentos começam a dar em algo, ou seja, de alguma forma vai melhorar porque poderei saber efetivamente o que esperar do futuro. Isto é fundamental para manter-se sonhando e como deveria ter dito Fernando Pessoa: “sonhar é preciso”.

Ainda falta muito para soltar fogos de artifício (falta até para abrir garrafas de vinho) mas já é o suficiente para pensar como seria bom comemorar.

Então vamos embusca de algo para comemorar!