Zinfandel, ou será Primitivo?

O Luiz Scapattura me falou da uva Zinfandel, usada na California para produzir vinhos tintos. Procurei e achei algumas opções aqui em Sampa, aliás o que a gente não acha aqui?

Tem na Worldwine o “Delicato Zinfandel 04″ a R$ 42,00 e na Mistral o Sonoma County Zinfandel 01 (Seghesio) a R$ 82,00. Tem mais por aí mas prá degustar já tá bom. O interessante é que descobri que esta uva no sul da Itália chama-se Primitivo. Vou procurar 2 outros desta uva e provaremos para ver as diferenças entre a original e as modernas. Com este friozinho que está fazendo vai ser um sucesso! Quem se habilita a participar?

Paella

Sábado passado recebemos amigos, Ênio e Izilda já frequentes companheiros de copo e Rogério e Laura, bons amigos também. Faço questão de ressaltar que o Rogério não bebe vinho, só cerveja! Como foi bom. Bom papo, divertidas gargalhadas e claro comida, vinhos e cerveja.

Fizemos uma paella valenciana com casquinha de siri de entrada juntamente com uma salada. Ah! o Rogério também não come salada. Já deu prá ver que o destaque foi o Rogério. De sobremesa cheese cake de chocolate.

Quanto aos vinhos, eu separei 2 espanhois simples e baratos, “Senorio de los Lhanos” sendo um crianza 2002 e outro reserva 2001, a Laura trouxe um espanhol “Conde de Valdemar” Crianza 2002 muito bom e o Ênio trouxe um californiano “Delicato” cabernet sauvignon 1999. O Conde de Valdemar e o Delicato eram os melhores sem dúvida. Os outros mais simples também não decepcionaram mas são mais para o dia-a-dia. Alguns gostaram mais do crianza, mais frutado e mais ácido e outros do reserva, com taninos mais acentuados. Eu preferi o reserva mas se deixasse muito tempo no copo os taninos ficaram muito fortes. Agora quanto a cerveja, segundo o Rogério, a Brahma faz uma ótima cerveja e quanto mais jovem melhor.

Sobre a casquinha de siri e a paella, parece que gostaram. Segundo o Rogério podia ter mais arroz. Valeu!

Tenho que deixar um agradecimento a Dna. Nice da banca do peixe do mercadão. Como ela atende bem. Dá gosto de comprar peixe e frutos de mar com ela.

Sgt. Pepper’s

No próximo dia 01/06 vai completar 40 anos do lançamento do disco Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band. Um marco.

O Estadão deste domingo fez um encarte ontem 12/05 pois neste dia há 40 anos atrás a primeira música deste disco foi tocada numa rádio. Bons tempos em que as músicas eram lançadas assim né?

Vale a pena conferir o que vão contar durante este mês sobre este excepcional acontecimento. Para mim significa muito pois penso ser o coroamento das muitas e maravilhosas mudanças que aconteceram desde os anos ’20 (depois da 1a. grande guerra). E os Beatles podem não ter sacado  racionalmente mas entenderam, sentiram profundamente estas mudanças e registraram de um modo que fez com que nossas vidas nunca mais fosse como antes. E olha que eu só fui conhecer estes caras em ’71. Fico imaginando como foi para quem viveu ao vivo. Ao vivo porque naquela época não tinha “real time”.

O Papa

O papa esteve entre nós! E daí. Muita coisa.

Querendo ou não ele é o representante de um grupo poderoso que há muito tempo interfere no nosso dia a dia. Não acompanhei muito profundamente, até porque decididamente não me considero mais católico, mas como cidadão da terra não deixei de ler alguma coisa, preferencialmente artigos de quem tem ou deveria ter o que dizer. Nisso o Estadão foi bem. Na folha 2 todo dia havia 2 artigos, um mais crítico e um mais engajado com os pensamentos externados pelo Papa nestes dias.

De cara me vieram duas situações à mente. O momento do meu casamento e as vezes que me encontro com uma amiga que diz que neste instante da vida mora num Pais que não tem presidente e faz parte de uma igreja que não tem Papa, ou seja não reconhece nem Lula e muito menos Bento XVI.

Resumindo pelo que li nestes dias:

1.) De fato a religião católica é a mais plural de todas as religiões monoteistas do mundo e isto não é elogio nem crítica;

2.) De fato este Papa foi eleito com um “progrma de governo”, quer dizer tenho certeza que os cardeais debeteram as possíveis maneiras de conduzir a igreja e tendo ganho uma determinada corrente foi eleito o cardeal que tinha melhores condições de levar o projeto adiante;

3.) Ganhou a corrente que chamo de tradicinalista ou “autêntica”, aquela que acredita que para a igreja católica é melhor fiéis mais autênticos do que mais fiéis ainda que com mais tolerância.

Vejam que o melhor para as pessoas não deve ter sido discutido sequer! O que importa é manter o poder da igreja e só!

Ainda bem que no meu casamento não aceitei  prometer que meus filhos seriam educados nesta religião e em nenhuma outra!

Pago ou pagado?

Segundo minha professora de italiano, que é formada em Letras na USP, devemos usar cada uma das formas de acordo com a situação:

Assim “a conta foi paga” ou “eu havia pagado a conta”. Da mesma forma “o texto impresso se referia a…” ou “o texto que se referia a …. deve ser imprimido”. Pelo foi isto que eu entendi.

Taí mais uma dica para usarmos melhor nossa língua portuguesa.