Norma da ABNT

Hoje entra em vigor nova norma da ABNT que exige a participação de profissionais para reformas de qualquer tipo. É o tipo de norma que vai pegar primeiro em cidades como São Paulo onde a cobrança de responsabilidades é maior. As administradoras de condomínio certamente vão aderir para não correr riscos de serem responsabilizadas posteriormente.

É um assunto interessante porque de uma lado temos uma sociedade que não conhece nossas aptidões e portanto não sabe que precisa de nossos serviços. Por outro lado há um enorme contingente de profissionais que não sabem fazer o serviço e oferecer algo vantajoso aos clientes.

Seria o mundo ideal se todos contratassem nossos serviços e se, ao contratarem recebessem algo que valesse a pena. É uma oportunidade de se criar e consolidar um mercado muito interessante mas não sei se será aproveitado corretamente pela sociedade e pelos profissionais. Vale a torcida

Buenos Aires 2012 – Revendo um amigo importante

Voltamos, 10 dias depois, com boas recordações, mais descançados, muito menos estressados, algumas dicas e bastante satisfeitos.

O mais importante de nossa viagem foi rever Agustin. Amigo de infância do Pedro que teve que voltar a viver em Buenos Aires há 17 anos. Desde então estivemos lá em 1997 para visitá-lo, o Pedro mantém algum contato pelo Facebook mas era pouco. Queriamos realmente revê-lo e saber como estava, matar saudades.

Fomos encontrá-lo pela manhã na Embaixada Brasileira, onde trabalha, e almoçamos juntos no centro de Buenos Aires. Um almoço muito bom, recheado com uma conversa franca, objetiva, muito bonita ou como diriam os portenhos, “mui rica”. Ficamos realmente felizes em ver que está bem, definindo sua vida, prestes a consolidar uma família, com projetos para o futuro, enfim superando as dificuldades como todos superaramos para construir nossa vida sem se esquecer do passado.

Ficamos mais felizes por refazer um contato de amizade que naturalmente precisava reconectar porque ele era muito jovem quando voltou para lá. Boa sorte a ele e sua namorada!

Além disso os passeios foram bons, o B&B era muito simples mas com pessoas atenciosas e extremamente agradáveis, “mui amabiles” diriam eles, em especial Diana. A comida era boa, os preços altos, inflação descontrolada, governo populista e outras situações que se assemelham muito ao Brasil da decada de ’80.

Conhecemos em particular um casal de jovens com uma filhinha de 7anos. Muito dedicados e esforçados, o marido está lá para estudar Medicina, com apoio da esposa, buscando o sonho da vida e feliz por estudar num local onde aprenderá mais do que no Brasil. Desejamos toda sorte do mundo para eles.

Fomos muito bem tratados e apesar de a cidade não ser mais tão agradável e ser bem mais pobre e descuidada do que era antes, continua sendo um lugar bem legal.

Amarelo é para passar ou para parar?

O semáforo amarelo é indicativo que podemos passar ou devemos parar? A partir de uma brincadeira familiar comecei a prestar mais atenção ao comportamento das pessoas no trânsito.

Eu aprendi que, em princípio que o amarelo é a primeira “ordem” de PARE! O tempo entre o amarelo para quem está no sentido que estava livre e o verde para o outro sentido tem a função de evitar as colisões, antigamente muito comuns, entre os que achavam que “vai dar tempo” e os que pensavam “oba! já posso ir”.

Depois ouvi um policial de trânsito confirmando esta orientação mas sugerindo uma regra prática: Se ao ver o amarelo você estiver a mais que 2 segundos da faixa, PARE! Do contrário ao passar o semáforo estará vermelho e aí mesmo que não haja colisão estará sujeito a multa.

Na prática percebi que esta situação pode fazer parte da lista de atitudes que dividem os educados e os não educados no trânsito. A maioria que passa no amarelo, passa sempre e ainda acelera para “não perder a chance de aproveitar o semáforo aberto”.

Hoje aconteceu isso comigo 2 vezes ao vir trabalhar a pé. Além disso em uma das faixas de pedestres que atravesso e não tem sinal, na primeira tentativa, depois de esperar uma leva de carros passar porque afinal neste horário todos estão com o tempo curto, o cara ao ver que eu iria atravessar acelerou para passar o outro carro que na sua frente e ia me deixar passar.

Ainda falta muito mesmo para nos considerarmos “civilizados”.

Europa 2010 – Post 3 – Ruinas, Costa Amalfitana e Vinchiaturo

1o. dia – 13/05/2010 – Chegamos bem de carro. O GPS nos indicou um caminho diferente do que tinhamos visto no Google Maps. O B&B é diferente do anterior. Cheio de detalhes mas um pouco menos pratico. Os donos Antonio e Ione, simpatississimos e a Angela muito atenciosa. Visitamos as ruinas de Pompei. IMPRESSIONANTE! So estando aqui para sentir. O maisinteressante foi ver as “bodegas” que eram os bares da época. Igualzinho aos nossos atuais. A noite comemos num restaurante especialissimo com uma comida otima e experimentamos um vinho espumante de produçao propria.

2o. dia – 14/05/2010 – Ficamos conversando com o Antonio e a Ione. Mostramos os 2 sites nossos e eles ficaram encantados com nossos projetos de lojas (adoraram a Fina Serafina) e principalmente com a proposta do Casual Sabor. Eles dao muito valor a coisas nao industrializadas por aqui. Depois pegamos o carro e fomos ao Vesuvio, as ruinas de Ercolano que estao mais bem cuidadas que muitos condominios atuais e por fim um belo passeio de carro pela Costa Amalfitana. Eu nao curti muito porque tem uma curva a cada 50 metros e tao fechadas que na estrada tem espelhos retrovisores.

3o. dia – 15/05/2010 – Tomamos um otimo café da manha e fomos para Vinchiaturo. O Marco do B&B de Roma havia dito que aqui nao ha nada. Estava certo. Campobasso que é a capital da regiao até que é grande mas Vinchiaturo é menor do que a Vila Elvio. De pratico consegui o endereço da paroquia dela para tentar via e-mail conseguir alguma informaçao da arvore genealogica da familia da minha mae. Amanha cedo partiremos para Norcia. Sera o maior trajeto de carro num unico dia. Passaremos por L’Aquila se for possivel ver alguma coisa.

Vinhos brancos

Este ano tenho feito experiências com vinhos brancos. Particularmente, para acompanhamento de pratos, me agradam mais os vinhos frescos, levemente ácidos, com toques minerais. A Sauvignon blanc, a Pinot Griggio, a Torrontés e a Risling são ótimas para este aspecto.

Os vinhos mais doces e amadeirados, em geral feitos com a Chardonay, não são meus preferidos mas gosto deles também.

Para ocasiões especiais e em particular para acompanhar os queijos a Guewustraminer não tem concorrentes, especialmente se vier da Alsacia. Pena que o bolso não permite tanto.

Na última experiência nossos amigos trouxeram para acompanhar um bacalhau com arroz e alho poró o “Punto Final Sauvignon Blanc 2009″ feito por Viña La Rosa no Chile por encomenda e exclusivamente para as Bodegas Renascer da Argentina (é a globalização econômica vencendo barreiras ideológicas e patrióticas). Excelente. Agora estou tratando de encontrar onde comprar mais barato porque nos locais indicados está bem caro.

Arraial D’Ajuda – Fim das férias

Os dias melhoraram mesmo depois da quarta feira, 01/10/08. E aí a rotina foi levantar, tomar café na pousada (que era muito bom, até porque era um serviço exclusivo já que somente nós estávamos lá), sair para ir até a praia (meia hora até o Mucugê ou 1 hora até Pitinga), ficar na barraca (preferimos a TRIBOA), um dia só na base de caipirinha e petiscos, outro dia comendo uma moqueca, passar a tarde na pousada (em geral lendo) e sair a noite para Arraial para comer algo e passear.

Levei o livro “Seis mil anos de pão” com 578 páginas e lí até a página 301 (mais que a metade) o que significa que cheguei nos anos 1500 (ou seja lí quase 5500 anos de pão).

Com o tempo ruim pensei até em voltar antes mas não ia dar porque perderia a passagem comprada com pontos e teria que comprar outra com dinheiro.

Agora só falta o trecho entre Niterói e Caravelas na Bahia para conhecer todo o litoral acima do Rio de Janeiro. Daqui prá frente viajaremos de carro que é uma viagem que me agrada mais. Antes acho que vamos variar com lugares diferentes, talvez Itatiaia, Mauá e outras áreas das montanhas que fazem a divisa entre SP, RJ e MG, Mato Grosso e também o litoral sul, especialmente de SC e RS.

Valeu pelo descanço, pelas pessoas legais que conhecemos e pelo lugar que é legal e me agrada, diferentemente dos demais locais do nordeste que me cansam muito rápido.

Gostamos do restaurante “Bárbara Bela”, do bar, restaurante e disco “Girassol”, do restaurante “Nativa” que é simples mas com bons pratos individuais e para resolver qualquer situação o “Portinha” que tem lá em Arraial, em Trancoso e em porto Seguro. É um restaurante por quilo (lá se diz “a quilo) com muita variedade que permite cada um comer como quiser. Dá até para ser vegetariano porque a mesa de comida fria é bem variada.

Na praia no trecho entre a balsa e o Arraial o Bar “Stela Mari” que fica na pousada “Canto d’ Alvorada” também de suiços é bem grande e bom, apenas um pouco caro.

Sgt. Pepper’s

No próximo dia 01/06 vai completar 40 anos do lançamento do disco Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band. Um marco.

O Estadão deste domingo fez um encarte ontem 12/05 pois neste dia há 40 anos atrás a primeira música deste disco foi tocada numa rádio. Bons tempos em que as músicas eram lançadas assim né?

Vale a pena conferir o que vão contar durante este mês sobre este excepcional acontecimento. Para mim significa muito pois penso ser o coroamento das muitas e maravilhosas mudanças que aconteceram desde os anos ’20 (depois da 1a. grande guerra). E os Beatles podem não ter sacado  racionalmente mas entenderam, sentiram profundamente estas mudanças e registraram de um modo que fez com que nossas vidas nunca mais fosse como antes. E olha que eu só fui conhecer estes caras em ’71. Fico imaginando como foi para quem viveu ao vivo. Ao vivo porque naquela época não tinha “real time”.

Pago ou pagado?

Segundo minha professora de italiano, que é formada em Letras na USP, devemos usar cada uma das formas de acordo com a situação:

Assim “a conta foi paga” ou “eu havia pagado a conta”. Da mesma forma “o texto impresso se referia a…” ou “o texto que se referia a …. deve ser imprimido”. Pelo foi isto que eu entendi.

Taí mais uma dica para usarmos melhor nossa língua portuguesa.